Como (re)alinhar as ações de inovação rapidamente em períodos de grandes mudanças?

Das lendárias cartas náuticas aos sofisticados instrumentos de navegação, nos salta aos olhos que, num mar revolto em dúvidas sobre o futuro de empresas, produtos, profissões e modelos de negócio, a inovação pode parecer tão precisa como jamais a consideramos. Afinal, em épocas de mudanças bruscas e em crises, muitas vezes o inimigo real é invisível, não vem do mercado, vem de atropelo, sem se apresentar, e tem o poder de mudar comportamentos e crenças, acelerando transformações numa velocidade ainda não experimentada. Quem ousa dizer que estava preparado?

E quando uso o termo “precisa” é porque há métodos e procedimentos por trás da inovação, mesmo que muitos se contentem com o chamado “teatro da inovação” em que grandes empresas são seduzidas pela contratação de um “C-Level Innovation Head”, ou pela criação de espaços coloridos e descolados e realização de “Silicon Valley Tours”, seguidos da solene criação de um “Innovation Lab” que possa ostentar um rico “post-it™  environment” para dinâmicas criativas.

Nesse post vamos te ajudar e te dar ferramentas para:

  • Entender e justificar a necessidade de alinhamento nas ações de inovação
  • Mapear a visão dos líderes em torno de objetivos comuns em inovação
  • Discutir e alinhar a estratégia, as táticas, a execução e o impacto esperado nas ações futuras de inovação

Em períodos de crise a inovação passa a ser fonte de sobrevivência

Em períodos de crise e mudanças bruscas, mais do que nunca, as companhias estão sob pressão para inovar e fazer seus produtos, operações e modelos de negócios mais atraentes e competitivos, sob risco de perderem perigosamente a relevância no pós-crise. Mas é preciso, também, lembrar que o foco deve estar tanto nos desafios do presente quanto nas incertezas do futuro.

Fazer tudo isso internamente ou sozinho é um desafio constante para se mostrar viável, minimamente para CFOs, CEOs ou mesmo Conselhos de Administração, que rapidamente virão com questões importantes relacionadas ao ROI da Inovação, e você corre o risco de ficar sem resposta sustentável se não tiver uma estratégia pautada por metodologias estruturadas de Inovação Corporativa, que aliam metodologias ágeis com a estratégica inserção em um ecossistemas de inovação aberta, em que existam diferentes stakeholders com os quais suas ações se complementam e ganham significativa sinergia.

Por onde começar ?

Muitos executivos se encontram munidos com times de alta performance, criativos e pragmáticos, mas que têm dificuldades em decidir estrategicamente em quais ações focar quando se trata de inovação.

Isso acontece devido à variedade enorme de novas possibilidades e caminhos, às incertezas e imprevisibilidades inerentes de processos inovativos, e também devido muitas vezes à falta de experiência e conhecimento à respeito do ferramental disponíveis e adequado para ajudar nesse tipo de iniciativa.

Em períodos de crise essa situação pode ficar ainda pior, uma vez que a necessidade de agir rapidamente pode levar a julgamentos errados e decisões precipitadas, desencadeando ações sem sentido e sem sinergia estratégica com os reais objetivos da empresa.

Sim, precisamos ser rápidos, mas também precisamos ser assertivos.

Por isso, a primeira coisa a se fazer é alinhar o time, e prover o entendimento mínimo adequado para que possam tomar decisões e seguir frente na melhor performance, em direção a um objetivo comum, com expectativas e métricas definidas.

Nenhum evento encontrado!

Como alinhar o time, expectativas e métricas?

Em nossos programas de inovação, costumamos organizar as coisas em, no mínimo, quatro pilares. Esse formato pode te ajudar a tirar um pouco a neblina da frente e visualizar o horizonte mais claramente:

Estratégia: Engloba o alinhamento da visão e objetivos, definição de responsáveis pela governança e execução macro, e também questões financeiras. É a revisão básica da estratégia e responsabilidades, e ajuda a colocar o time todo na mesma direção geral.

Tática: Promove a discussão sobre o que será feito na prática. Há escopo em inovação aberta? Quais ações estão em nosso radar? O que iniciaremos, continuaremos e desligaremos? Costuma ser interessante verificar como as visões da liderança de diferentes áreas da empresa enxergam as ações de inovação por lentes diferentes.

Execução: Como as implantações ou desenvolvimentos ocorrerão? Quais os parceiros internos e externos, e quais suas motivações? É o momento te entendermos as motivações nos diversos níveis da organização, e como podemos fazer o time trabalhar de forma unida e sincronizada.

Impacto: É o momento em que procuramos realmente entender por que as ações serão realizadas, o que é sucesso nessa jornada e como vamos medi-lo e sustentá-lo ao longo do tempo.

Com uma simples (auto) avaliação assistida, evitamos que nossos clientes iniciem e executem estratégias e programas de inovação caros (e potencialmente inúteis) sem entender o que (e por que) a liderança acredita que algo funcionaria ou não funcionaria. Isso ajuda a evitar desperdício de tempo, dinheiro e frustração para todos os envolvidos.

Após aplicarmos essa abordagem por diversas vezes, acabamos desenvolvendo uma ferramenta que facilita esse processo, e que ajuda a coordenar e promovendo essa discussão de forma mais organizada. Além disso, resolvemos disponibilizá-la de maneira gratuita, e você pode acessá-la nesse link.

Corporate Innovation Assessment Canvas

Innovation Assessment Canvas

Você pode acessar a ferramenta nesse link

Veja, o Corporate Innovation Canvas não é uma ferramenta de assessment à respeito das capabilidades atuais ou uma análise sobre seus programas de inovação em execução, ainda que o uso da ferramenta muitas vezes traga ótimos insights à respeito desses temas também. Também não é uma ferramenta de planejamento estratégico. É uma ferramenta de levantamento de informações e alinhamento estratégico e operacional.

O Corporate Innovation Canvas é uma ferramenta de levantamento de informações e alinhamento. O objetivo em utilizá-lo é entender as expectativas e as direções que estão na cabeça do time de liderança da empresa em relação às futuras ações de inovação, e auxiliá-los na estruturação e no determinação do escopo, facilitando (e muito) as tomadas de decisão.

Conhece aquela velha frase: “Para quem não sabe qual é o objetivo, qualquer iniciativa serve”. A ideia é justamente manter você e seu time longe dessa frase. Queremos que tomem a decisão certa, com alinhamento estratégico, que caiba dentro da realidade operacional e que seja sustentável ao longo do tempo.

Espero que tenha gostado do conteúdo.

Para mais insights e informações como essa, acesse nosso blog.

Para receber nosso conteúdo quentinho e nossas iniciativas direto no seu e-mail, inscreva-se em nossa newsletter.

Até a próxima !

Assine nossa Newsletter  e receba nosso conteúdo diretamente em seu e-mail.

(19) 3114-4100

Av. 1, 28 – Parque das Quaresmeiras, Campinas – SP, 13098-450

© Todos os direitos reservados © 2020 ⋅ Venture Hub